Em 2011 mais precisamente em Brasília, Bolhão, André de Toca, Pidou e Cacaes decidiram montar uma banda de hardcore, foi assim que apareceu o Cadibóde. A banda se uniu em um objetivo muito claro, a vontade era de alucinar a cena e fazer um som que saísse da naturalidade de cada um dos integrantes, sem fórmulas, sem paradigmas; um som pesado, sujo, pegado, swingado, com vozes ora retas, ora melódicas, a critério da criatividade do momento.

No final de 2011 após um período de composição, a banda decidiu entrar em estúdio para gravar sua primeira demo composta por 10 músicas.

Com o som já gravado veio a oportunidade de produzir o clipe da música T.E.D., que colocou a cara do Cadibóde na cena de Brasília. Em 2012, a banda participou de vários shows como o Festival Sai da Lata e a abertura do show para uma banda que os caras do Cadibóde são fãs declarados, a Dead Fish. Como a situação sempre foi difícil os caras bolaram um lance, fazer festas com seus próprios recursos, como a Festa do Real na Universidade de Brasília, onde a banda conseguiu reunir cinco mil pessoas.

Em 2013, o Cadibóde tocou no Festival Porão do Rock, onde recebeu elogios pela energia no palco de jornalistas e do público.

2016 é o ano em que o Cadibóde lança o CD "Fica Doido é Fei" com produção de Lampadinha. E agora?

Agora o Cadibóde taí, ligeiro, sem frescura, e na atividade pra mostrar que a fonte não secará jamais.